Está criando a sua primeira loja virtual? Que legal! Fico muito feliz por você. Por este motivo vou contribuir com 10 dicas para te ajudar na criação do seu primeiro e-commerce.

Antes, deixe eu me apresentar: Sou Carlos Zamora e co-fundei a Agência SOFT no dia 1º de Setembro de 2010. Trabalhava com palestras no UOL HOST e percorri o Brasil conversando com lojistas que tinham as mais variadas dúvidas. De 2010 para cá acompanhei o nascimento de mais de 700 lojas virtuais e trabalhei ativamente em todas elas!

Aproveito para compartilhar algumas das experiências que tive contigo:

1- Veja se o nome da sua loja está disponível

Pense no seguinte; Você ficou horas, dias, semanas decidindo um nome bacana. Conversa com amigos e parentes e aquele nome é bem legal. Mas na hora de registrá-lo, pimba, está indisponível. Que situação desagradável, não é mesmo?

Hoje vou passar para você uma ferramenta fantástica para verificar se o domínio, o nome da sua marca está disponível no .com.br.

Em primeiro lugar, acesse este link: https://registro.br/tecnologia/ferramentas/whois/#lresp

Nele você irá digitar o nome de domínio desejado (sem o www.). Por exemplo: minhalojavirtual.com.br

Se ele estiver disponível, você verá esta imagem:

Pesquisa de Domínio na Registro.br

Se ele não estiver disponível, você verá todas as informações da pessoa ou da empresa que registrou este domínio, incluindo a data em que ele foi registrado e data de validade do mesmo (que pode facilmente ser renovado pelos detentores atuais).

Apenas para te orientar: A Registro.br é o órgão oficial de registro de domínios .com.br no Brasil, portanto utilize-a para registrar os seus domínios!

2- Escolhendo a plataforma

O segundo passo – e um passo muito importante – é a escolha da plataforma que vai atender a sua loja virtual. Existem vários comparadores de plataformas no Google, mas a minha ideia aqui não é comparar individualmente as plataformas. Quero ser mais objetivo: Pense em que momento o seu projeto se encontra.

Se você deseja a criação de uma loja virtual simples, com recursos interessantes, mas não muito personalizável do ponto de vista técnico, boas ferramentas como a Loja Integrada ou a Nuvem Shop vão te atender muito bem! Não há necessidade de reinventar a roda, utilize daquilo que o mercado pode te oferecer. São plataformas com baixo custo de investimento inicial, mensalidades acessíveis e boas opções de layouts compráveis por pouco investimento.

Você precisará de algo entre R$ 500 – 1 mil iniciais e R$ 50-100 mensais para iniciar a sua loja virtual.

Já se você deseja uma boa personalização, o melhor caminho na minha opinião é a criação de uma loja virtual Magento. O Magento é uma plataforma open source disponível no mercado desde 2008. Hospeda milhares de lojas virtuais no Brasil e no mundo e é referência em e-commerce. Você deve procurar por agências que são especializadas na criação de lojas virtuais Magento (já fomos especialistas em Magento na Agência SOFT de 2010 a 2020, porém hoje focamos em marketing digital para lojas virtuais).

A criação de uma loja virtual Magento 2 tem um investimento médio inicial de R$ 10 – 30+ mil (a depender do que você vai precisar) e com uma mensalidade que geralmente inicia-se em R$ 500 mensais (ou mais). Há alternativa, como a utilização do Magento do UOL HOST com investimento inicial de R$ 300 mensais (mais o necessário para personalizar o seu layout com uma agência especializada).

Também há a brasileira VTEX, a maior empresa de e-commerce da América Latina. Ela é voltada para lojas virtuais de médio – grande porte, por este motivo não vou focar nesta solução neste post.

A minha dica: Parta para aquela solução que vá te atender bem no curto prazo para tirar a sua ideia do papel. Com o crescimento do seu e-commerce, você começará a ter “bons problemas”, como a troca da plataforma por uma mais robusta e personalizada.

3- Crie o seu Logotipo

A criação de logotipo é um trabalho muito delicado e que será fundamental para a sua loja virtual. Recomendo que você crie um bom logotipo logo no começo do seu projeto. Há várias opções boas no mercado, como plataformas como a We Do Logos que por aproximadamente R$ 850,00 faz a intermediação do seu contato com agências e profissionais freelancers para a criação do seu logo.

Agências especializadas na criação de logotipos poderão te atender com um projeto personalizado, com a criação de material gráfico para impressão, envio de arquivos vetorizados e manual de marca, mas o investimento necessário parte de R$ 5 mil (para mais).

Tenha certeza que o seu novo logo seja legível na sua loja virtual e traga a essência do seu e-commerce, além de ter cores que passem a impressão de qualidade da sua loja virtual.

4- Cuidados na escolha do desenvolvedor

Este é um ponto muito delicado da criação da sua loja virtual: A escolha de um bom desenvolvedor. Há profissionais freelancers maravilhosos e agências desastrosas. Assim como há profissionais freelancers de baixa qualidade e compromisso e agências fantásticas.

Veja algumas dicas para encontrar bons fornecedores para a criação da sua loja virtual:

  • Pegue Referências: Não peça por referências, pegue referências. Veja as lojas virtuais atendidas pela agência ou profissional em questão, selecione aleatoriamente 2 ou 3 sites e veja se o logotipo da empresa está inserido no rodapé da loja virtual. Caso esteja, entre em contato com a loja virtual (por e-mail ou telefone), identifique-se e questione como foi o atendimento da empresa (ou profissional) no processo de criação da loja virtual. Se o atendimento prestado for bom, você terá várias referências. Aqui na Agência SOFT é comum nossos clientes referenciarem nossos serviços. E eu sempre falo para todos os novos clientes: Selecione os que você ligará aleatoriamente em nosso site, não espere uma indicação específica de minha parte, pois sem dúvida eu recomendaria os com melhor relacionamento. É a mesma dica que eu dou para você.
  • Registro.br: Lembra-se da Registro.br que eu recomendei para você acima? Use o mesmo link e pesquise pelo site da agência ou profissional que você está pesquisando, você receberá uma resposta com os dados do proprietário do domínio. Veja se a Razão Social e o CNPJ são os mesmos (e aproveite para pesquisar o CNPJ na Receita Federal), ou mesmo veja se o domínio está registrado em uma empresa. Há casos de sites que dizem estar no mercado a 5… 7… 10 anos, mas o domínio foi registrado 5-6 meses atrás. Desconfie nestas situações.
  •  Não dispense o Contrato: Faça questão de ter um contrato detalhado entre você e a empresa / profissional que vai te atender na criação da loja virtual. Peça que todas as funcionalidades estejam individualmente descritas e de forma leiga, pois desta maneira você evita possíveis subentendimentos no processo de criação do seu e-commerce.
  • Nota Fiscal Sempre: Se a empresa ou profissional que vai te atender não faz a emissão da nota fiscal (ou o faz em nome de terceiros), procure outro fornecedor. O relacionamento já estará começando de uma maneira errada e as chances de você ter problema se multiplicarão. Queira sempre o certo para o seu e-commerce.

5- Foque na experiência do cliente, não em detalhes caros

Criar uma nova loja virtual com muitas funcionalidades pode ser muito custoso. Foque num primeiro momento no lançamento do seu e-commerce, deixe funcionalidades rebuscadas e toda a automação para um segundo momento. Uma vez escrevi – com razão – que a automação no e-commerce é inimiga do investimento. Quanto mais automação, mais investimento será necessário num primeiro momento.

A menos que você tenha um orçamento ilimitado, deixe funções de automatização para um segundo momento, quando a sua loja virtual já tiver fluxo e a sua ideia já tiver sido validada para os seus clientes.

Já vi muitos projetos nascerem com investimentos altos (em automação ou funcionalidades específicas) e em muitos casos os clientes nem utilizarem aquelas funcionalidades! Em casos mais específicos as lojas virtuais deixaram de existir pelo simples fato de que todo o investimento foi gasto na criação da loja, não sobrou investimento para o marketing digital. Não faça isso!

6- Tire fotos com boa qualidade

De nada adianta ter uma boa loja virtual, rápida, disponível para smartphones se os seus produtos não tiverem fotos de boa qualidade. Evite utilizar fotos disponibilizadas pelos fornecedores caso estes tenham menos de 1000px de dimensões. Compre uma câmera semi-profissional ou mesmo utilize o seu smartphone para tirar as fotos dos produtos.

Você pode montar um pequeno estúdio com a utilização de uma cartolina branca grande e um pop-up box (aqueles guarda-chuvas com lâmpadas fortes). Tire as fotos e as edite no próprio smartphone, você não precisa ser profissional para ter boas fotos.

Voilá, você terá boas fotos de produtos e poderá publicá-las na sua loja virtual.

Lembre-se de tirar fotos de várias posições do produto, bem como com o produto sendo utilizado (quando possível). Se a sua plataforma permitir, faça com que a foto seja trocada quando o mouse é passado sobre a imagem do produto nas categorias ou homepage.

7- Faça descrições fáceis de se ler

Agora que você tem uma boa plataforma e boas fotos é a hora de criar uma boa descrição para o seu produto. Evite usar as descrições enviadas pelos fornecedores (utilize apenas as informações técnicas). Elas não são interessantes para os clientes e pode prejudicar o SEO da sua loja virtual. Crie uma nova descrição para cada produto – seguindo, claro, um padrão pré-estabelecido de formato – e coloque-se no lugar do seu cliente ao ler a descrição.

Faça espaçamentos, utilize parágrafos, destaque informações importantes com o bold – negrito (sem abusar na quantidade) e faça a descrição ser envolvente para quem a ler. Lembre-se que além do seu cliente, o Google também erá lê-la para decidir na ordem de aparecimento do seu site nos resultados de busca.

8- Aceite cartões de crédito e boleto bancário

Nada de deixar boas formas de pagamento de lado. Quanto mais formas do seu cliente pagar, melhor. Aceite pagamentos por boleto bancário e por cartões de crédito. Se possível, opte por fornecer também a opção de pagamento por depósito bancário com o envio de comprovante, preferencialmente numa conta bancária empresarial na Caixa Econômica. Lembre-se que o seu cliente poderá depositar o valor (a depender da quantidade de dinheiro) em casas lotéricas, que estão espalhadas por todo o Brasil e fazem parte do dia-a-dia do brasileiro.

Uma boa alternativa para quem está começando é a utilização de intermediadores de pagamentos como o MoIP Wirecard, Mercado Pago (do Mercado Livre), PayPal ou PagSeguro. A grande vantagem destes dois últimos é que eles são muito conhecidos e utilizados no mercado, então você poderá usar o benefício de que os clientes conhecem e confiam no PayPal / PagSeguro para comprar na sua loja virtual.

Eu posso não confiar na sua marca, mas se você utiliza o PagSeguro (por exemplo) eu vou comprar com a segurança de que minha compra estará protegida.

9- Faça um teste antes de investir pesado

Voltamos a questão da plataforma, do layout, da automação: Não invista pesado em uma ideia que, por enquanto, ainda não foi validada no mercado. Pense na metodologia do Produto Mínimo Viável (MVP) do famoso livro de Eric Ries: The Lean Startup. Lance uma versão beta, algo bem feito mas ainda não na versão final do seu e-commerce e teste a receptividade dos seus possíveis clientes.

Crie uma loja virtual, coloque os principais produtos, faça uma boa campanha inicial (oferecendo descontos sim, afinal eu preciso conhecer a sua loja virtual e a sua cultura antes de comprar de você) e teste a receptividade. Fale para todo mundo que você criou uma nova loja virtual e divulgue-a incessantemente.

De acordo com as respostas que obtiver, você fará os investimentos para melhorará gradativamente. Não invista pesado sem ter certeza sobre os resultados.

10- Não esqueça do Marketing Digital e SEO

Com a sua loja virtual publicada, não deixe de lado o Marketing Digital e o SEO, que é a otimização para o Google e outros buscadores. Momento propaganda; A Agência SOFT é especialista em SEO para lojas virtuais, mas você tem liberdade de procurar o melhor fornecedor de SEO e de Marketing Digital no mercado. Há agências fantásticas que poderão te atender quase tão bem como a Agência SOFT.

O SEO é, basicamente, um mix de otimizações de códigos e conteúdo da sua loja virtual para o robô do Google coloque a sua empresa em resultados mais bem posicionados. Você já fez muitas pesquisas no Google, não é mesmo? Pois então: Cada resultado que aparece numa pesquisa é um site ou uma loja virtual com um belo investimento em SEO para estar com um bom posicionamento na pesquisa.

Já o Marketing Digital é constituído (além do SEO) pelo Google Ads e Facebook Ads. Obviamente há outros serviços, mas vou focar nestes dois que são mais recomendados para quem está começando.

A grosso modo você pagará um crédito para o Google / Facebook, escolherá palavras-chave e criará anúncios para serem exibidos quando alguém pesquisar por estas palavras-chave. Quando alguém pesquisar no Google e usar uma palavra-chave que você escolheu o seu anúncio será exibido. Você só será cobrado quando alguém clicar no seu anúncio e visitar o seu site. Esta é a maneira mais rápida de ter resultados em vendas (mas também é custosa, por isso é recomendado ter uma agência de marketing digital assessorando você).

Inclusive, criei um artigo recentemente onde falo sobre 5 Estratégias de Marketing Online para Lojas Virtuais.

Faça mais com menos

Em resumo: Faça mais com menos. Invista menos, teste mais, valide mais, tenha a seu lado empresas e profissionais experientes para você evitar caminhos errados.

Se você ficou com alguma dúvida, deixe o seu comentário que vai ser um prazer te responder!

Um abraço e até o próximo artigo.

A foto utilizada neste artigo é de autoria de Mike Petrucci disponível no Unsplash